NOTÍCIAS


Caso Lara: material suspeito é encontrado em carro visto próximo a local onde menina desapareceu


A Polícia Civil confirmou nesta sexta-feira (8) que a perícia encontrou um material suspeito no carro prata que aparece em imagens de câmera de segurança próximo ao local a adolescente Lara Maria Oliveira Nascimento, de 12 anos, que foi achada morta no dia 19 de março, em Campo Limpo Paulista (SP), foi vista pela última vez.

O laudo completo da perícia ainda não foi divulgado e está sendo feito no Instituto de Criminalística de São Paulo (SP), no núcleo de biologia e bioquímica. O carro tinha sinais de limpeza recente por dentro e por fora, segundo a polícia.

  • Compartilhe no WhatsApp
  • Compartilhe no Telegram

Ainda de acordo com a corporação, quebras de sigilo foram solicitadas para acesso a equipes de outros estados. Já foi realizado também um contato com policiais de Pernambuco (PE) e Paraíba (PB), que podem cumprir o mandado de prisão do suspeito.

Na última segunda-feira (4), a polícia começou a investigar duas denúncias sobre o paradeiro do suspeito de matar Lara. Wellington Galindo de Queiroz, de 42 anos, já tem passagens na polícia por tráfico de drogas, crime contra o patrimônio, associação criminosa e receptação. Ele está foragido, e a polícia não passou informações sobre as denúncias para não atrapalhar a investigação.

  • O que se sabe e o que falta esclarecer sobre o desaparecimento e a morte da adolescente

Wellington aparece nas imagens de câmera de segurança dirigindo o carro prata (veja o vídeo abaixo). Elas mostram o momento em que o carro para perto do local, no mesmo dia e próximo ao horário em que a menina desapareceu. Em determinado momento, o motorista sai do veículo e olha ao redor, depois entra novamente no carro e segue o caminho.

Vídeo mostra carro parado em local onde menina achada morta foi vista pela última vez

Vídeo mostra carro parado em local onde menina achada morta foi vista pela última vez

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido no endereço onde o suspeito morava, no dia 31 de março. A residência, localizada em Francisco Morato (SP), fica a cerca de 800 metros do local onde o corpo da menina foi encontrado.

A casa aparentava ter sido abandonada recentemente e alguns objetos foram apreendidos para perícia, segundo a polícia. Outros cinco mandados de averiguação foram cumpridos em possíveis endereços ligados a ele.

  • Casa de suspeito foragido tinha sinais de abandono recente, diz polícia
  • Adolescente morreu com ao menos quatro golpes na cabeça, aponta legista

Segundo o delegado, o suspeito já havia sido ouvido informalmente por telefone e foi intimado a prestar esclarecimentos na delegacia, mas se negou. Após a intimação, a polícia não conseguiu mais contato com o suspeito.

O carro que aparece nas imagens foi localizado em outra cidade e apreendido. Em depoimento, a proprietária do veículo disse que teve um relacionamento com o suspeito, mas que eles não estão mais juntos.

No dia 25 de março, a polícia pediu a prisão temporária do homem, que está foragido. O inquérito segue em segredo de Justiça.

Denúncias sobre o caso podem ser feitas pelo telefone 181. Não é necessário se identificar.

O tio da vítima negou envolvimento no crime por meio de uma carta. O g1 teve acesso ao documento, no qual o parente, que está preso em Bauru (SP), diz que estava com a esposa e uma amiga no dia e horário em que a adolescente desapareceu (leia abaixo).

“Estou preso por tráfico de drogas e tenho passagem por roubo, mas assassino de criança não”, escreveu.

‘”No dia da minha saidinha, eu saí de Bauru às 8h e cheguei em casa era 13h. Depois fui até o centro de Campo Limpo com a minha esposa e minha cunhada Renata para comer esfiha e, por chamada de vídeo com a Luana, eu vi a Lara e as irmãs dela. Foi a última vez que vi a Lara’, afirmou em um trecho da carta.

O tio da adolescente foi ouvido na última quarta-feira (6), em depoimento feito de forma online.

Tio de adolescente morta em Campo Limpo Paulista nega envolvimento no crime através de carta — Foto: Arquivo pessoal

Tio de adolescente morta em Campo Limpo Paulista nega envolvimento no crime através de carta — Foto: Arquivo pessoal

Sumiço após compra de refrigerante

A adolescente Lara desapareceu no dia 16 deste mês, quando saiu de casa para comprar um refrigerante em uma mercearia a cerca de 600 metros de sua casa. O corpo dela foi encontrado com marcas de violência, no dia 19 de março.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que Lara morreu por traumatismo craniano causado por ao menos quatro golpes na cabeça. O legista citou a presença de sinais de crueldade e disse que possivelmente foi usado um martelo ou uma picareta. O documento confirmou também que era cal uma substância encontrada no corpo da adolescente.

Segundo a polícia, a perícia nas unhas da adolescente pode ajudar apontando vestígios de DNA do assassino. O resultado do exame que vai dizer se ela sofreu ou não abuso sexual ainda não foi divulgado também. Os laudos, que estão sendo feitos em Jundiaí (SP) e na capital, serão fundamentais para o inquérito, que segue em segredo de Justiça.

No dia 29 de março, funcionários do mercado onde a menina esteve antes de desaparecer prestaram depoimento à polícia. As equipes de investigação também percorreram bairros de Francisco Morato, cidade vizinha, para ouvir mais moradores.

A polícia também ouviu os pais, a tia e o primo da adolescente.

Moradores fazem passeata e pedem justiça para adolescente encontrada morta — Foto: Gustavo Netto/TV TEM

Moradores fazem passeata e pedem justiça para adolescente encontrada morta — Foto: Gustavo Netto/TV TEM

Moradores de Campo Limpo Paulista realizaram, no dia 27 de março, uma passeata em homenagem à adolescente.

Quase 100 pessoas, entre familiares, amigos e vizinhos, participaram da caminhada. Com cartazes e faixas, o grupo realizou o mesmo percurso que Lara fez no dia em que desapareceu, e pediu justiça.



Fonte: G1


08/04/2022 – Objetiva FM

SEGUE A @OBJETIVAFM107.5

(15) 99838-4161

producao@objetiva107.com.br
Buri – SP

NO AR:
TARDE OBJETIVA