NOTÍCIAS


Caso Lara: polícia faz buscas por suspeito de assassinar adolescente em São Bernardo do Campo


Wellington tem passagens na polícia por tráfico de drogas, crime contra o patrimônio, associação criminosa e receptação. De acordo com a delegada Ivalda Aleixo, responsável pela Divisão de Capturas do DOPE, ele teria passado por São Paulo (SP) no dia 23 de março, na região do Jabaquara.

Ainda segundo a delegada, o suspeito tem família em São Bernardo do Campo e poderia estar recebendo ajuda para continuar escondido. A polícia irá cruzar informações para descobrir em qual região o suspeito está.

A Polícia Civil analisou mais de cinco mil imagens de câmeras de segurança para identificar e localizar o suspeito de matar a adolescente.

De acordo com a Polícia Civil, equipes policiais da Paraíba (PB) e de Pernambuco (PE) foram acionadas e também irão ajudar nas buscas, já que Wellington tem contato com pessoas dos dois estados.

  • O que se sabe e o que falta esclarecer sobre o desaparecimento e a morte da adolescente
Vídeo mostra carro parado em local onde menina achada morta foi vista pela última vez

Vídeo mostra carro parado em local onde menina achada morta foi vista pela última vez

Em uma das imagens analisadas pela polícia, o suspeito aparece dirigindo um carro prata (veja o vídeo acima). Elas mostram o momento em que o veículo para perto do local onde a menina desapareceu, no mesmo dia e próximo ao horário.

Em determinado momento, o motorista sai do veículo e olha ao redor, depois entra novamente no carro e segue o caminho.

No dia 8 de abril, o delegado responsável pelo caso, Rafael Diório, informou que a perícia encontrou um material suspeito no carro prata que aparece nas imagens.

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido no endereço onde o suspeito morava, no dia 31 de março. A residência, localizada em Francisco Morato (SP), fica a cerca de 800 metros do local onde o corpo da menina foi encontrado.

A casa aparentava ter sido abandonada recentemente e alguns objetos foram apreendidos para perícia, segundo a polícia. Outros cinco mandados de averiguação foram cumpridos em possíveis endereços ligados a ele.

Segundo o delegado, o suspeito já havia sido ouvido informalmente por telefone e foi intimado a prestar esclarecimentos na delegacia, mas se negou. Após a intimação, a polícia não conseguiu mais contato com o suspeito.

O carro que aparece nas imagens foi localizado em outra cidade e apreendido. Em depoimento, a proprietária do veículo disse que teve um relacionamento com o suspeito, mas que eles não estão mais juntos.

No dia 25 de março, a polícia pediu a prisão temporária do homem, que está foragido. O inquérito segue em segredo de Justiça.

Denúncias sobre o caso podem ser feitas pelo telefone 181. Não é necessário se identificar.

O tio da vítima, que chegou a ser apontado como suspeito, negou envolvimento no crime por meio de uma carta. O g1 teve acesso ao documento, no qual o parente, que está preso em Bauru (SP), diz que estava com a esposa e uma amiga no dia e horário em que a adolescente desapareceu (leia abaixo).

Tio da Lara, que está preso e chegou a ser apontado como suspeito, negou envolvimento no crime por meio de uma carta — Foto: Arquivo Pessoal

Tio da Lara, que está preso e chegou a ser apontado como suspeito, negou envolvimento no crime por meio de uma carta — Foto: Arquivo Pessoal

“Estou preso por tráfico de drogas e tenho passagem por roubo, mas assassino de criança não”, escreveu.

‘”No dia da minha saidinha, eu saí de Bauru às 8h e cheguei em casa era 13h. Depois fui até o centro de Campo Limpo com a minha esposa e minha cunhada Renata para comer esfiha e, por chamada de vídeo com a Luana, eu vi a Lara e as irmãs dela. Foi a última vez que vi a Lara’, afirmou em um trecho da carta.

O tio da adolescente foi ouvido no dia 6 de abril, em depoimento feito de forma online. O laudo completo da perícia ainda não foi divulgado pelo Instituto de Criminalística de São Paulo (SP). O carro tinha sinais de limpeza recente por dentro e por fora, segundo a polícia.

Sumiço após compra de refrigerante

Vídeo mostra carro parado em local onde menina foi vista pela última vez antes de desaparecer — Foto: Reprodução/Câmera de segurança - Arquivo pessoal

Vídeo mostra carro parado em local onde menina foi vista pela última vez antes de desaparecer — Foto: Reprodução/Câmera de segurança – Arquivo pessoal

A adolescente Lara desapareceu no dia 16 deste mês, quando saiu de casa para comprar um refrigerante em uma mercearia a cerca de 600 metros de sua casa. O corpo dela foi encontrado com marcas de violência, no dia 19 de março.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que Lara morreu por traumatismo craniano causado por ao menos quatro golpes na cabeça. O legista citou a presença de sinais de crueldade e disse que possivelmente foi usado um martelo ou uma picareta. O documento confirmou também que era cal uma substância encontrada no corpo da adolescente.

Segundo a polícia, a perícia nas unhas da adolescente pode ajudar apontando vestígios de DNA do assassino. O resultado do exame que vai dizer se ela sofreu ou não abuso sexual ainda não foi divulgado também.

Os laudos, que estão sendo feitos em Jundiaí (SP) e na capital, serão fundamentais para o inquérito, que segue em segredo de Justiça.

No dia 29 de março, funcionários do mercado onde a menina esteve antes de desaparecer prestaram depoimento à polícia. As equipes de investigação também percorreram bairros de Francisco Morato, cidade vizinha, para ouvir mais moradores.

A polícia ainda ouviu os pais, a tia e o primo da adolescente.

Desde de que Lara sumiu, Luana não mexeu mais nos utensílios que a garota usava para ajudar a mãe a fazer bolos em Campo Limpo Paulista — Foto: Arquivo pessoal

Desde de que Lara sumiu, Luana não mexeu mais nos utensílios que a garota usava para ajudar a mãe a fazer bolos em Campo Limpo Paulista — Foto: Arquivo pessoal

A família enfrenta dificuldades para retomar a rotina desde o dia em que a adolescente desapareceu.

A mãe de Lara, Luana Nascimento, que trabalhava com venda de bolos, doces e decoração de festas, conta que ainda não conseguiu voltar a fazer as encomendas e que, desde então, não conseguiu nem mexer nos utensílios da garota, que a ajudava na cozinha.

“Algumas pessoas que tinham dado o sinal, que é 30% antes, eu já fiz a devolução, porque não vou ter condições psicológicas para mexer com algo tão manual. É algo que vai muito a sua energia”, diz Luana.

O pai da adolescente também está muito abalado e precisou ser afastado do trabalho. O casal tem outras duas filhas, e, para sustentar a casa, a família está contando com a ajuda de amigos.

Luana também relata que a família pretende mudar da casa onde viveu por quase seis anos. “Aqui infelizmente virou um lugar de dor. Eu não consigo sair da minha casa, subir, porque foi o último caminho que a minha filha fez. Saiu para ir ali e nunca mais a minha filha vai voltar”, conclui.

Caso Lara: polícia diz que analisou mais de 5 mil imagens de câmera em busca de suspeito

Caso Lara: polícia diz que analisou mais de 5 mil imagens de câmera em busca de suspeito

Carta à Guarda Municipal

Carta feita por aluna para a Guarda Municipal de Campo Limpo Paulista (SP) — Foto: Guarda Municipal de Campo Limpo Paulista/Divulgação

Carta feita por aluna para a Guarda Municipal de Campo Limpo Paulista (SP) — Foto: Guarda Municipal de Campo Limpo Paulista/Divulgação

Uma aluna da escola onde Lara estudava em Campo Limpo Paulista entregou uma carta de agradecimento aos guardas municipais pelo trabalho realizado nas buscas pelo suspeito de matar a adolescente.

De acordo com a GM, durante patrulhamento na Escola Municipal Franco Montoro, próximo ao Parque Santana, a equipe foi abordada pela aluna, que entregou a carta, na qual agradecia os guardas por estarem na escola protegendo a ela e aos amigos (leia acima).

Na carta, a estudante ainda falou a respeito das buscas pelo suspeito de ter matado Lara. “Eu tenho certeza que vocês irão pegar o assassino da Lara”, escreveu.

Moradores fazem passeata e pedem justiça para adolescente encontrada morta — Foto: Gustavo Netto/TV TEM

Moradores fazem passeata e pedem justiça para adolescente encontrada morta — Foto: Gustavo Netto/TV TEM

Moradores de Campo Limpo Paulista realizaram, no dia 27 de março, uma passeata em homenagem à adolescente.

Quase 100 pessoas, entre familiares, amigos e vizinhos, participaram da caminhada. Com cartazes e faixas, o grupo realizou o mesmo percurso que Lara fez no dia em que desapareceu, e pediu justiça.

VÍDEO: assista às reportagens da TV TEM



Fonte: G1


13/04/2022 – Objetiva FM

SEGUE A @OBJETIVAFM107.5

(15) 99838-4161

producao@objetiva107.com.br
Buri – SP

NO AR:
DOMINGO SERTANEJO