NOTÍCIAS


Pegada Sustentável: escola de Sorocaba forma cidadãos mais conscientes e responsáveis com o meio ambiente | Especial Publicitário - Anglo Sorocaba


Não há setor na economia que não esteja se transformando. Indústria, agricultura e prestação de serviços correm para adotar iniciativas mais sustentáveis e se posicionar diante da sigla que pauta o mundo e é usada para se referir às melhores práticas ambientais, sociais e de governança (ESG – Environmental, social and corporate governance).

Mas diante desse cenário, como a educação vem trabalhando para não repetir padrões do século passado?

Assumir a missão de desenvolver cidadãos conectados com o meio ambiente e a sustentabilidade é um dos caminhos adotados pela Escola Anglo Sorocaba por meio do projeto Pegada Sustentável. Um trabalho que envolve não só os estudantes e professores, mas toda a comunidade escolar em uma série de atividades.

Alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio são envolvidos em atividades que trabalham desde os conceitos sobre ecologia até atividades práticas como reaproveitamento de materiais e consumo consciente.

“Na disciplina Observatório Geográfico, da primeira série do Ensino Médio, por exemplo, introduzimos aos jovens o conceito de ‘pegada ecológica’ e os convidamos a refletir sobre a quantidade de recursos naturais que é necessária para sustentar as gerações atuais e as próximas”, explica a diretora geral da escola, Carol Lyra.

Sustentabilidade na prática

O envolvimento dos alunos do Anglo Sorocaba com práticas sustentáveis vai além e ultrapassa os muros da escola e até mesmo do país.

Uma iniciativa de peso é o projeto desenvolvido com a Greenbrier East High School, dos EUA, instituição que tem parceria com o MIT – Massachusetts Institute of Technology e que participou de um intercâmbio de projetos ao longo de um ano.

Em 2019, alunos da Anglo se envolveram no “International Design Project” – Projeto Internacional Design -, no qual puderam criar um parque com produtos reciclados, como por exemplo, banco feitos com pneus e cordas.

“Esse projeto trabalhou a produção independente e criativa dos estudantes, incentivando o desenvolvimento de móveis ecologicamente corretos, reciclados ou que derivassem de materiais recicláveis. Foi uma oportunidade incrível de troca com alunos de outro país, mas especialmente de conscientização para a preservação do meio ambiente”, lembra Carol. Uma nova edição está programada para este ano.

O contato direto com a natureza e o conhecimento sobre a diversidade de espécies presentes na região, ou seja, sobre a riqueza do que está próximo dos alunos, também integram as atividades do Anglo.

Tanto é verdade que as turmas são incentivadas a plantar árvores originárias da Floresta Mesófila – cobertura vegetal típica de Sorocaba e região – em uma área verde que ronda a escola devolvendo ao meio ambiente suas essências nativas.

“Não trabalhamos a sustentabilidade somente em disciplinas ligadas à ciências da natureza, mas em projetos temáticos onde matemática, linguagens e outras disciplinas são introduzidas e dialogam de forma próxima com os alunos”, salienta Carol.

E, se de um lado, estudantes de todos os níveis são mobilizados a estudar, refletir e praticar ações sustentáveis e de impacto positivo para o meio ambiente, de outro, os professores e colaboradores também dão o exemplo e seguem um protocolo de recomendações.

Preferir paineis digitais ao papel, reaproveitar e planejar a compra de objetos utilizados nas aulas (palitos, tintas, papeis, canudos) com colegas e evitar materiais poluentes, como bexiga e isopor são apenas algumas das práticas seguidas pelos educadores da escola, que é signatária do movimento Escolas pelo Clima.

A utilização dos Learning Books, como alternativa para as apostilas, contribui para diminuir a utilização de papel — Foto: Divulgação/Anglo Sorocaba

A utilização dos Learning Books, como alternativa para as apostilas, contribui para diminuir a utilização de papel — Foto: Divulgação/Anglo Sorocaba

Quase 500 mil folhas deixarão de ser utilizadas

O investimento em plataformas digitais de aprendizado é outra iniciativa da escola que visa, ao mesmo tempo, facilitar a tomada de conhecimento e evitar o gasto e descarte de materiais.

Para se ter uma ideia, segundo a diretora Carol Lyra, a implementação do Learning Book (tecnologia que disponibiliza o conteúdo pedagógico totalmente digital aos alunos), da Agenda Digital e do Centro de Atendimento com material em formato de QR Code deve resultar na economia de, pelo menos, 482 mil folhas de papel em 2022.

A introdução de canecas e squeezes individuais em substituição a copos de plástico também já é uma prática disseminada na escola. Com essa iniciativa, 200 mil copos deixarão de ser descartados na natureza, este ano.

“Nossa missão é trabalhar a educação cidadã em todas as frentes da escola. Quando formamos um bom cidadão, formamos, também, uma pessoa honesta, com ética e que tem a visão de proteger o planeta”, finaliza Carol.



Fonte: G1


28/03/2022 – Objetiva FM

SEGUE A @OBJETIVAFM107.5

(15) 99838-4161

producao@objetiva107.com.br
Buri – SP

NO AR:
VIOLADA SERTANEJA