NOTÍCIAS


Petrópolis reforça equipes de limpeza para liberar vias da cidade


Equipes da Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) estão fazendo a limpeza do centro histórico da cidade, atingido pelo transbordamento de rios e deslizamentos de terra provocados pelo temporal que caiu no município no domingo (20).

Nossos militares seguem na missão de resgate em Petrópolis na tarde deata segunda-feira (21.03). 

Na Rua Washington Luis, no Centro, houve deslizamento de terra e desabamento de imóveis.

Na Rua Washington Luis, no Centro, houve deslizamento de terra e desabamento de imóveis – Perfil oficial do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Desde ontem (21) o trabalho já vinha sendo feito em outras áreas da cidade. O presidente da Comdep, Léo França, disse que além do centro histórico, os agentes da companhia atuam na Rua General Rondon, Coronel Veiga, Olavo Bilac, Alto da Serra, Rua Teresa, 24 de Maio, Sargento Boening, Chácara Flora e Bingen.

“Intensificamos o efetivo também para atuarem na liberação das vias e o acesso dos moradores”, disse.

O reforço nas equipes foi necessário para dar mais agilidade ao trabalho de remoção das barreiras e de limpeza das ruas. Os agentes usam reboques, retroescavadeiras e caminhões, em diferentes pontos da cidade. Também está sendo feita a remoção de árvores que atingiram as redes de energia e obstruíram as vias.

Magé

Os estragos provocados pela chuva de domingo, no entanto, não ficaram restritos a Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. No sexto distrito de Magé, Baixada Fluminense, os bairros Pau Grande, Fragoso, Parque dos Artistas e Jardim Nazareno ficaram alagados com a chuva intensa. Houve transbordamento de sete rios e córregos.

Segundo a prefeitura, o bairro mais atingido foi Raiz da Serra, onde a queda de uma ponte deixou isolados moradores da Rua Joaquim dos Santos. A prefeitura está construindo uma ponte provisória. Foi preciso acionar sirenes para alertar a população para os riscos nesses locais. Apesar disso, segundo a Defesa Civil, não houve registro de vítimas.

Por causa dos deslizamentos, apenas carros de passeio podem passar pela Estrada da Serra Velha, que dá acesso à Petrópolis. O prefeito de Magé, Renato Cozzolino, disse que o município sofreu com o impacto da chuva que caiu na cidade imperial. Mais de 120 pessoas foram recebidas nos abrigos do sexto distrito de Magé.

Um grupo de 11 pessoas foi surpreendido por uma tromba d’ água na cachoeira do Véu da Noiva. Todos foram resgatados pela Defesa Civil, bem como os que faziam trilha na Serra após passarem a noite em um abrigo improvisado.

As pessoas que sofreram danos com o temporal estão sendo cadastradas para atendimento por equipes da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos. As famílias estão recebendo cestas básicas e kit de material de limpeza. Muitos perderam, inclusive, documentos na enxurrada.

Teresópolis

Na região serrana, mesmo com as ocorrências de deslizamento, quedas de árvore e riscos estruturais, a cidade de Teresópolis não registrou vítimas, nem desalojados ou desabrigados.

Os maiores volumes de chuva registrados em 24 horas foram 201 milímetros (mm) no Parnaso, 195,8 mm na Coreia, 167,2 mm no Barroso e 160,8 mm no Vale da Revolta. Ainda no domingo, as sirenes foram acionadas na Coreia às 18h27 e às 20h51. A equipe da Defesa Civil foi aos pontos de apoio para orientar a população local.

O município continua em estágio de atenção por causa dos acumulados e da previsão de chuva e do risco de ocorrência de movimentação de massa.

Angra dos Reis

O município de Angra dos Reis continua em alerta máximo, apesar da diminuição dos índices de chuvas. Segundo a prefeitura, a desmobilização deste cenário ocorrerá por mensagem do Centro de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais de Angra dos Reis (Cemaden-AR), a partir da redução total dos índices pluviométricos acumulados e da previsão de melhora do cenário meteorológico.

A previsão para os próximos dias é de sol no município. “O anúncio do retorno à normalidade poderá acontecer nas próximas horas, de acordo com a Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil”, informou.

Ainda há 29 pessoas em dois pontos de apoio localizados no bairro Belém, aguardando apenas as vistorias nos imóveis que estão sendo feitas. Dos 63 pontos de apoio, 33 foram ativados no último domingo e continuam à disposição da população.

Trechos nos dois sentidos da Estrada do Contorno, na Estrada da Banqueta e na Ribeira ainda estão parcialmente interditados, com a passagem de veículos de pequeno porte. A Prefeitura aguarda a presença de técnicos da companhia de energia Enel para retirar fios de energia elétrica que estão espalhados no local.

“A Defesa Civil segue monitorando via Centro de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais de Angra dos Reis (Cemaden-AR), com a informação de que em breve a situação voltará à normalidade na cidade”, completou a Comunicação da Prefeitura.

Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro vai passar recursos para os municípios atingidos por desastres naturais. A transferência será de até R$ 8 milhões, dependendo da população do município e dos danos ocorridos em cada local. A deliberação foi publicada na edição de hoje (22) do Diário Oficial do Estado.

De acordo com a pasta, a medida considera “o cenário de situação de calamidade pública e de emergência, causadas por chuvas ou outras tragédias ocorridas nos municípios do estado, além da necessidade de estabelecer estratégias e fortalecer as ações de preparação e resposta para desastres relacionados ao período chuvoso ou outras situações”.

A SES informou que o dinheiro a ser transferido aos municípios poderá ser de custeio ou investimento, e o valor terá um teto de acordo com as faixas populacionais. “Para municípios de até 100 mil habitantes, o teto é de R$ 2 milhões; de 100.001 a 500 mil habitantes, R$ 5 milhões; e, de 500.001 a 1,5 milhão de habitantes, R$ 8 milhões”, completou.

Os municípios precisam atender alguns critérios, como ter um ou mais estabelecimentos de saúde integrante do SUS com dano devido ao desastre natural.

“Os estabelecimentos de saúde incluem desde hospitais a ambulatórios, postos de saúde e laboratórios de saúde pública. O mesmo vale para sedes administrativas, que incluem secretarias municipais de Saúde, farmácias e centrais de abastecimento, e também para viaturas, como ambulâncias e carros para transportes sanitários”, informou a secretaria.

Para o secretário Alexandre Chieppe, esta é uma das formas da pasta cumprir seu papel de apoiar os municípios, orientando e repassando recursos para que possam manter os serviços de saúde em momentos críticos como os de pós-desastres. “É fundamental que a rede básica permaneça atuante para atender a população”, afirmou.



Fonte: G1


22/03/2022 – Objetiva FM

SEGUE A @OBJETIVAFM107.5

(15) 99838-4161

producao@objetiva107.com.br
Buri – SP

NO AR:
MADRUGADA OBJETIVA F